phone 

Cúria Diocesana

91 3425-1108

 

ENTENDENDO A VOCAÇÃO

Hoje os Franciscanos são chamados a reviver e atualizar o carisma de ontem. Difícil esta tarefa. Mas é certo que o Evangelho precisa ser redescoberto como o foi no tempo de são Francisco. Hoje os Franciscanos são chamados a reviver e atualizar o carisma de ontem. Difícil esta tarefa. Mas é certo que o Evangelho precisa ser redescoberto como o foi no tempo de são Francisco. Imagem: http://www.franciscanos.org.br/?p=93672

VOCAÇÃO: CHAMADO E RESPOSTA

 A palavra “Vocare” em Latim significa chamar. A vocação é o mesmo que chamado. Todo o chamado requer uma resposta. A resposta é sempre opção livre de quem é chamado. Pode ser SIM ou NÃO. Portanto, a vocação acontece no diálogo. É o encontro de duas liberdades: a absoluta liberdade de Deus, que chama, e a liberdade humana que responde a esse chamado. Há um chamado fundamental à vida e modos diferentes de se responder a esse chamado. A essas maneiras diversas de respostas chamamos de Vocação Específica.

a) Vocação à Vida: Ao observar a harmonia da natureza, a beleza do céu, do mar, da lua, das estrelas, de uma flor, poderemos concluir que Deus é infinitamente bom. O Mistério criador se reflete no conjunto da criação e, através dela, se revela. Ele é Amor para com todas as criaturas. A vocação das criaturas é, portanto, o chamado de Deus à existência. “E Deus viu que tudo era bom” (Gênesis).

b) Vocação Humana e Cristã: Dentro de todos esses chamados à vida, o ser humano é convocado a ser gente, pessoa humana, feita à imagem e semelhança de Deus. Cada ser humano é uma criatura nova e original. É dado a todos em gérmem, desde o nascimento, um conjunto de aptidões e de qualidades para as fazer render: desenvolvê-las será fruto da educação recebida, do meio ambiente e do esforço pessoal, e permitirá a cada um orientar-se para o destino que lhe propõe o Mistério criador da vida. A vocação fundamental humana realiza-se, então, através de uma tríplice dimensão: somos chamados a nos assemelhar a Deus, relacionando-nos com ele, com os irmãos e com o mundo. Nossa fé nos leva à certeza de que fomos todos criados por um mesmo Pai-Mãe. Portanto, somos chamados a nos relacionar com Deus como FILHOS. Ora, se somos filhos de um mesmo Pai- Mãe, somos também IRMÃOS. Sou chamado a ser IRMÃO do outro ser humano e das criaturas. E, enfim, se um Pai e uma Mãe tem muitos filhos, dá a eles, por igual, em herança, sua terra e os ensina a amar, respeitar e trabalhar nela para que se alimentem, tenham vida e administrem os bens da família. Assim o mundo existe para ser compartilhado entre irmãos, bem cuidado e organizado.

c) Vocações Específicas: Como já referimos anteriormente, não existe apenas uma forma de responder ao chamado de Deus. A vocação fundamental Humana pode ser vivida de modos diferentes. São diversos os caminhos para o Amor:

 

VOCAÇÃO DO LEIGO

Muitas vezes, o termo “Leigo” é compreendido erroneamente. Quando alguém é leigo em determinado assunto, não entende da coisa ou não participa de determinada área... Não é esse o conceito que adotamos. Leigos são todos aqueles chamados à viver a semelhança de Deus, conformando sua vida aos testemunhos e ensinamentos do Cristo, como solteiro ou casados. A vida de solteiro reporta à vocação específica do próprio Cristo que permaneceu, por chamado de Deus, neste estado para dispor de suas capacidades e dons a serviço da humanidade. Deste modo, ser solteiro não é simplesmente a negação do ser casado. Infelizmente, ainda existem preconceitos sobre os que não se casam. Isto tem gerado não só casamentos assumidos sem vocação, mas também opções por vida religiosa e sacerdotal mal fundamentadas, resultando no desencadear de um processo de infelicidade e frustração. No matrimônio, duas pessoas são chamadas a construir uma comunidade de vida e de amor. Fundamentado sobre a rocha firme e sólida que é Jesus Cristo, o matrimônio cristão é indissolúvel, porque a aliança de Cristo conosco é eterna. No mundo da família e do trabalho, o Leigo, solteiro ou casado, é chamado a ser sinal do Cristo e do seu Evangelho. Cristo prestou o maior serviço à humanidade. O Leigo é chamado também a servir, pela sua capacidade profissional, seus dons e habilidades. Reconhecendo ser a dimensão fraterna uma importante expressão de sua vocação, é também missão do Leigo buscar a implantação do Bem Comum, essência da verdadeira Política. Para isso, é importante sua integração em todos os meios que busquem o bem de todos: partidos, associações, sindicatos e outros organismos que se fundamentem nos ideais evangélicos. Na Igreja, o Leigo é chamado a assumir ministérios, para, através desses serviços, fazer acontecer o Reino de Deus em seu meio. A Igreja é toda ministerial e, por isso, cabem aos Leigos encargos especiais de evangelização, nas mais diversas pastorais. Em sínteses, os Leigos são aqueles homens e mulheres que, agindo à luz da fé e da Palavra de Deus, movidos pelo Amor, procuram infundir o espírito evangélico em todas as realidades temporais, como família, a cultura, as artes, as profissões, as instituições políticas.

 

VOCAÇÃO RELIGIOSA

Assim como os Leigos, também os religiosos são chamados a responder à Vocação fundamental Humana e Cristã. Entretanto, os chamados à vida Consagrada percebem em si mesmo uma inquietude que supera as exigências do empenho batismal proposto a todo o povo de Deus. São pessoas que se sentem iniciadas a se unirem mais intimamente ao Cristo e sua missão evangelizadora. Deus as chamas a trilhar um caminho diferente para o Amor. A violência radical da Vocação fundamental Humano e Cristã assumida no Batismo se expressa mediante a prática dos conselhos evangélicos, professada pelos consagrados como voto ou promessa. A concretização dos Conselhos Evangélicos se dá através de um compromisso de vida assumido na POBREZA, na OBEDIÊNCIA e na CASTIDADE.

d) Vocação Missionária: A vocação Missionária é um chamado de Deus que perpassa todas as vocações específicas. Missionário pode ser o Leigo, casado ou solteiro, o religioso (irmão ou irmã) ou sacerdote. Não podemos esquecer que toda a Igreja é missionária. Caso contrário, o próprio cristianismo não teria sido tão difundido em todo o mundo. Jesus viveu e anunciou sua mensagem na Palestina. Nunca saiu de lá. Mas depois da ressurreição, enviou seus apóstolos e discípulos a levarem ao mundo inteiro seus ensinamentos e salvação. Existe também outro tipo de Missão: as conhecidas “Missões Populares”, quando uma equipe missionária se une durante um período de tempo para revigorar e reestruturar determinada comunidade cristã.

e) Vocação e Profissão: Muitas vezes confundimos vocação e Profissão. Isto é compreensível se levarmos em conta que a medicina, por exemplo, é um verdadeiro sacerdócio para muitos médicos. Entretanto, sempre é bom estabelecermos os limites de um e outro conceito para que não haja confusão. Vocação é da ordem do ser. Profissão é da ordem do fazer. Vocação é um estado de vida. Profissão é uma ocupação na vida. Vocação vivo 24 horas por dia. Profissão exerço em média 8 horas por dia. Vocação é gratuita. Profissão é remunerada. Vocação é para o Reino de Deus. Profissão é para o sustento da pessoa.

f) Vocação Franciscana: A vocação Franciscana é atual. Hoje os Franciscanos são chamados a reviver e atualizar o carisma de ontem. Difícil esta tarefa. Mas é certo que o Evangelho precisa ser redescoberto como o foi no tempo de são Francisco. A sociedade de consumo, de competição, idolatradora do dinheiro e do poder, espezinhadora dos pequenos e dos leprosos de hoje, contaminadora e destruidora da casa de todos que é o mundo, precisa reencontrar o frescor do Evangelho e a pureza do paraíso que Francisco e seus companheiros viveram. Não se trata somente de descobrir eventuais atividades que os franciscanos, religiosos ou leigos, poderiam desenvolver em nossos dias. Trata-se antes de tudo de refazer a experiência de Francisco a partir da vida e das contradições de nosso tempo. Trata-se de refazer a trajetória espiritual evangélica de Francisco com seus componentes de minoridade, pobreza, serviço, louvor, fraternidade, solidariedade com o que não tem valor. Os que seguem o chamamento franciscano reacendem a chama do Evangelho que parece morrer. Para tanto será necessário estudar o passado, reter aquilo que nele é válido e descobrir novas formas de concretização da vida evangélica com evidentes repercussões práticas. Os Franciscanos de hoje se escondem nas grutas e se misturam com gente simples e desprezada, rezam no silêncio e unem-se ao coro de louvor que monta aos céus pela voz da Igreja, vivem em fraternidades despojadas e em função dos pobres, não cessam de anunciar a paz e a necessidade de conversão, tornam-se livres e despojados de todo apego, contestam mais pelo exemplo evangélico do que por discursos teóricos, são construtores da paz num mundo dilacerado.

 

Conclusão

Todas as Vocações são belas. Nenhuma é mais importante do que a outra. Toda vocação é para servir. Fomos todos chamados para essa missão. Toda Vocação está ligada ao serviço, à doação. Doação sem reservas por causa de Cristo, para construir o seu Reino. A realização da pessoa consiste em acertar a própria Vocação e, assim, cumprir a tarefa que só a ela cabe.

Terceira Ordem Regular

Franciscanos TOR

Lido 228 vezes

Liturgia

Clique e leia a liturgia diária

Calendário

Calendário de pastoral da Diocese

Sobre a Diocese

EVANGELIZAR, a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como igreja discípula, missionária e profética, alimentada pela Eucaristia e orientada pela animação bíblica, promovendo a catequese de inspiração catecumenal, a setorização e a juventude, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (cf. Jo 10,10), rumo ao reino definitivo.

Boletim de Notícias

Deixe seu e-mail para ser avisado de novas publicações no site da Diocese de Bragança: